In Alimentação

6 Alternativas ao Açúcar Refinado - A Droga das Crianças (e não só)

Mãe Natureza Blog
Cada vez mais se fala sobre os malefícios do açúcar. Não tanto por engordar mas principalmente por causa do seu efeito viciante e prejudicial, chegando até a ser comparado a uma droga ilícita.
Certo é que, desde que tive necessidade de ler os rótulos de tudo o que oferecia ao Manel para comer, após um episódio grave de alergia alimentar que teve quando era bebé, apercebi-me da quantidade de açúcar que quase todos os alimentos processados tinham na sua composição.
Embora a alergia dele não tivesse sido ao açúcar, de facto fiquei muito mais consciente e alerta e tive a necessidade de arranjar alternativas mais saudáveis para nós.

É tudo uma questão de adaptação

Há mais de 3 anos que não compro açúcar branco cá para casa. E não sinto falta nenhuma dele!
Foi até curioso, que por ter reduzido a quantidade de açúcar que consumíamos, ficamos todos mais sensíveis ao sabor do açúcar e o que dantes comíamos e bebíamos e era bom, actualmente, por vezes, está demasiado doce, o que efectivamente não é muito agradável.
A diminuição da quantidade de açúcar que consumíamos começou com a substituição dos pequenos almoços que costumávamos tomar, por outros mais saudáveis, feitos em casa, tais como, papinhas de  sêmola de milho, de millet, de aveia crua ou de trigo serraceno, entre outras que em breve partilho. 
Na despensa, agora, é muito raro haver bolachas compradas. Fazemo-las nós e digo-vos que são muito mais apetitosas. Podem encontrar uma receita aqui. O mesmo se passou com os iogurtes, o pão, o leite vegetal (aveia e amêndoa) e grande parte dos alimentos processados que passaram a ser confeccionados, com muito amor, cá em casa. 
Estas medidas fizeram com que a quantidade de açúcar ingerida por cada um de nós diminuísse drasticamente. 

Os efeitos nocivos do açúcar na nossa saúde

Para adoçar, porque também gostamos de alimentos docinhos, passamos a utilizar alguns substitutos, que embora também contenham açúcares, são mais saudáveis do que o refinado, ao qual é retirado, por processos químicos, todo o valor nutricional, apresentando apenas um elevado valor calórico.
São conhecidos os efeitos nocivos do consumo do açúcar, tais como:
  • Diabetes (doença do século XXI)
  • Subida dos níveis de adrenalina nas crianças
  • Inibe a produção de hormonas de crescimento
  • Deprime o sistema imunitário
  • Irrita a mucosa intestinal
  • Acidifica o sangue
  • Promove a instabilidade emocional
  • Desmineraliza os ossos e dentes
  • Provoca hipertactividade e falta de concentração
  • Contribui para a obesidade
  • Provoca carência de vitaminas, minerais e oligoelementos

A sociedade que impinge açúcar às crianças

Com o Manel, porque ficou comigo até aos 15 meses, altura em que foi para o colégio, foi mais fácil evitar que lhe dessem iogurtes de aromas, bolacha e outros alimentos cheios de açúcar mas fico feliz por saber que, pelo menos até essa idade, só conhecia o açúcar naturalmente presente nas frutas e legumes. 
Mal começou o colégio e começou a comer iogurtes de aromas (cheios de açúcar), nunca mais quis os naturais que tanto gostava. 
Passou a ter festas de anos com bolo, a trazer sacos de gomas e rebuçados para casa, e quantas vezes, na rua, lhe ofereciam um rebuçado. Sempre me custou a perceber e passei a ter uma colecção enorme dessas guloseimas que lhe ofereciam escondidas em casa!
Quanto mais açúcar damos às crianças (e adultos) mais necessitam de comer para atingir o mesmo nível de conforto.

Acho piada quando vejo mães a darem aos seus filhos alimentos carregados de açúcar e a queixarem-se que eles não ficam quietos e que são demasiado activos e irrequietos. Porque será??
Com o meu filho, não é preciso estar presente para saber quando comeu doses industriais de doces. Basta observar o seu comportamento e perceber que a sua energia fica completamente descontrolada.

Por experiência própria, digo-vos que não é fácil fazer os outros perceberem que as nossas crianças não vão gostar mais deles por lhes darem doces e chocolates mas aos poucos havemos de conseguir. 
Para os que ainda não viram a reportagem da Visão que a RTP passou no ano passado, denominada "O açúcar é o maior veneno de damos às crianças", deixo aqui o link.

As 6 alternativas ao açúcar refinado que mais utilizamos

  1. Rapadura - É feita a partir do caldo concentrado da cana do açúcar e ao contrário do açúcar branco, é rica em nutrientes como cálcio, magnésio, ferro e potássio. É também rica em vitaminas do complexo B. Por não ser cozido a altas temperaturas, o melaço não é separado do açúcar. É produzido organicamente, sem produtos químicos. Pode ser usado para alimentar probióticos como o Kefir.
  2. Tâmaras - São capazes de substituir o açúcar em qualquer receita, substituindo o volume de açúcar pelo mesmo de tâmaras. Mesmo para quem não gosta muito, o seu sabor, nas receitas, passa desapercebido. Por cá usamos as Medjool. São tão boas que as como muitas vezes, como snack. São altamente nutritivas. Ricas em hidratos de carbono simples e complexos, ferro, potássio, cobre, magnésio e cálcio, para além de terem vitaminas A, B e C. Muitas propriedades terapêuticas são associadas ao consumo de tâmaras, entre eles a acção laxante e tranquilizante.
  3.  Açúcar de coco - Tem grande capacidade adoçante e baixo índice glicémico, ou seja, não causa picos de glicémia. É mais natural porque não é refinado nem tem a adição de produtos químicos.
  4. Geleia de arroz - É um doce não refinado que resulta da germinação do arroz e de uma fermentação enzimática. Tem elevado teor em hidratos de carbono complexos que são absorvidos lentamente, evitando os picos de açúcar no sangue. Evita a acidez no estômago e descalcificação dos ossos. Também se pode usar geleia de milho, de espelta ou de cevada (malte de cevada).
  5. Mel - É um bom adoçante natural. Fonte de ferro, zinco, vitamina C e do complexo B. Tem propriedades antibióticas e anti-inflamatórias mas exige moderação porque é muito calórico. Ajuda a prevenir e a tratar gripes e constipações.
  6. Xarope de Ácer - Era muito utilizado pelo índios para fins medicinais. É recolhido da seiva das árvores. Tem uma excelente concentração de nutrientes, incluindo polifenóis, antioxidante poderoso que protege as nossas células do envelhecimento precoce, tornando o nosso sistemas imunitário mais forte. Tem propriedades anti-bacterianas e anti-cancerígenas.

Lembrem-se que estas alternativas ao açúcar, embora mais saudáveis e muito mais interessantes nutricionalmente, continuam a ser açúcares e portanto devem ser consumidos com moderação, para bem da nossa saúde e da nossa felicidade.

Espero que este artigo tenha sido útil!
Até breve ;)


Ler Mais

Share

12 Comentários

In Receitas

Papa de Sêmola de Milho com Pêra e Laranja

Mãe Natureza Blog
Já há algum tempo que não vos deixava nenhuma receita das papinhas que tanto gostamos por cá!
Cada vez faço mais destas papas e cada vez mais tenho que testar, misturar e variar os cereais para serem diferentes todos os dias e usar as frutas que a Mafalda também come (que já são praticamente todas, excepto os frutos vermelhos).

 Alternativa às papas de pacote

Estas papas caseiras continuam a ser o pequeno almoço de eleição cá de casa e também para o lanche da Mafalda. 
No colégio onde anda, o lanche ou é iogurte natural com fruta ou papa de pacote. Como não quero que coma deste tipo de papas, preparo sempre um boião de papa para ela levar e comer à tarde, depois de ser aquecido em banho-maria.
A receita que hoje vos deixo é mais uma alternativa que encontrei para as papas de pacote, compradas prontas para utilizar.

Podem encontrar aqui as receitas que já partilhei no blog:
- Papinhas de millet
- Papinha de aveia crua com morangos
- Papinha de trigo serraceno com mirtilos

A receita que vos deixo hoje é com sêmola de milho.

Sêmola de Milho

A sêmola de milho, conhecida também por carolo de milho, é o resultado da moagem incompleta do grão de milho, apresentando por isso uma textura granulada.
Por ser digerida muito lentamente pelo organismo, ajuda a controlar os níveis de saciedade.
É rica em hidratos de carbono, tem algumas proteínas e um baixo teor em lípidos.
Apresenta na sua composição várias vitaminas do complexo B, como a tiamina, niacina, ácido pantoténico e ácido fólico, vitamina K, selénio e ferro.
É um cereal que contém glúten, pelo que deve haver precaução quando dado a bebés pequenos e apresenta um baixo teor em purinas, o que é benéfico para quem tem níveis elevados de ácido úrico, prevenindo os episódios de gota.

Receita 
Ingredientes (quantidade para 1 dose):
  • 1 Pêra madura
  • 2 Colheres de sobremesa de Sêmola de Milho
  • 1/2 Laranja
  • Água q.b.

Preparação:
- Descascar a pêra e cortá-la aos pedaços.
- Numa panela colocar a pêra e cobrir com água.
- Colocar a panela no fogão em lume brando.
- Acrescentar a sêmola e ir mexendo para que esta se dissolva na água e não fique com grumos. 
- Deixar cozinhar cerca de 10 a 12 minutos até ficar com a consistência de uma papa. 
- Retirar do lume.
- Descascar a 1/2 laranja, retirar todas os caroços e juntar à papa.
- Usar a varinha mágica para desfazer a fruta e fazer uma papa mais macia.


NOTAS:
  1. Por ser uma papa com glúten e com citrinos aconselho a que seja dada a partir dos 10 meses. (A introdução da diversificação alimentar que faço com os meus filhos é a indicada pela pediatra deles. No entanto deve sempre consultar o pediatra do seu filho na introdução de novos alimentos.)
  2. Se quiser, pode adicionar leite materno quando a papa já está feita e arrefecida. Se o pretender fazer, deve diminuir a quantidade de água que utiliza na cozedura da fruta, para evitar que a papa fique muito líquida. 
  3. A sêmola de milho que uso é produzida em modo biológico e comprada a granel. Se quiser saber mais sobre onde faço as minhas compras pode ler este artigo.

Espero que gostem e saboreiem esta papa!

Até breve ;)





Ler Mais

Share

4 Comentários

In Outros

The Entertainer Blogger Award

The Entertainer Blogger Award
Não posso deixar de iniciar este artigo com um agradecimento especial à Sara Canhoto do blog Healthy Food and Me, que me nomeou para este prémio. Passem no blog dela. Tem receitas e artigos interessantes!

Porque é que começaste este blog?

O contacto e a observação da Natureza sempre me fascinaram e tento, sempre que possível, preservá-la o mais que posso. Para o fazer tenho alguns cuidados na minha rotina diária, que vão desde a alimentação, que tento que seja o mais consciente e saudável possível, aos cuidados com os produtos de higiene, cosmética e limpeza que utilizo e a pequenos gestos que adoptei e faço questão de ensinar aos meus filhos.  
Este blog surgiu em Agosto de 2017, quando percebi que afinal já praticava, no meu quotidiano, bastantes acções saudáveis, para a nossa saúde e pelo ambiente e que estas interessavam aos meus amigos e conhecidos, que me pediam dicas, receitas e sugestões.
Assim decidi partilhar com todos os interessados como resolvo uma série de questões nos meus dias, para os tornar mais simples, saudáveis, sustentáveis e ecológicos!

Qual é o teu livro preferido?

Para mim esta é uma pergunta difícil. Gosto muito de ler, se bem que desde o nascimento dos meus filhos, não consigo ler tantos quanto gostava. 
Ainda assim, e não porque seja O preferido mas porque se adequa bem à fase vida que estou a atravessar escolho o Siddhartha, do Hermann Hesse. Foi publicado a primeira vez em 1922 e trata basicamente a busca pela plenitude espiritual e o alcance de estados em que a mente humana se encontra completa e serena.

O que menos gostas?

Estar parada no trânsito quando tenho que ir buscar os meus filhos e ser obrigada, pela sociedade, a cumprir horários rígidos, só porque sim.

Qual a tua comida preferida no shopping?

Detesto shoppings e as cadeias de comida dos mesmos.
Adoro comida de verdade, feita com amor e dedicação. Vivo numa cidade com tanta oferta gastronómica de qualidade e com preços bastante acessíveis que ir comer ao shopping é um atentado!

Qual o teu passatempo preferido?

Tenho tantos! Tudo é excelente desde que esteja em boa companhia e no meio da Natureza que tanto amo. Também adoro ler, viajar, cozinhar, ouvir música, ir a concertos e tomar banho no mar!


Os blogs nomeados são:


Atenção!
Também queres participar e não estás na lista? Manda-me mensagem que eu adiciono-te!
Parabéns aos nomeados. Aguardo as vossas respostas. Por favor avisem-me quando o fizerem!
A participação é opcional. Não se sintam obrigados a aceitar este prémio.



Regras:
- Agradecer à pessoa que vos nomeou e adicionar o link do seu blog.
- Adicionar as regras, para que os outros as possam seguir.
- Nomear pessoas que achem divertidas, inspiradoras e agradáveis.
- Responder às mesmas perguntas.
- Incluir a imagem no vosso post.

Sara, obrigada por esta oportunidade.

Até breve com mais artigos novos!

Ler Mais

Share

10 Comentários

In Lifestyle Outros

O Resgate do Saco para o Pão

Saco para o Pão

Numa altura em que parece que está a haver uma tomada de consciência, por parte de muitos, sobre os problemas que os plásticos nos podem trazer, decidi partilhar mais uma das formas que adoptei para minimizar o seu consumo. 

O Saco para o Pão

Todos os da minha geração se devem lembrar de irmos comprar pão com um saco de tecido, normalmente feito à mão, especificamente para esta finalidade. Tinham um cordão em cima para  o fechar e alguns deles eram bem giros e originais.

Já há uns tempos que estava para fazer isto e finalmente consegui. Fui ao baú da minha mãe resgatar alguns dos sacos para o pão que lá estavam há anos, parados no tempo à espera que alguém os fosse buscar para voltar a utilizar. Atrevo-me a dizer que estariam parados há cerca de 30 anos (o que me faz sentir que estou "crescida"!). 

A Estranheza de Reavivar esta Prática

É verdade que há alguma admiração quando levo o saco de tecido para ir à padaria mas é, sem dúvida, muito compensador quando penso que o facto de o usar equivale a evitar que um elevado número de sacos plásticos novos vão para o lixo e terem que ser produzidos ainda mais, alimentando continuamente esta indústria tão poluidora.
Mesmo nos locais onde utilizam sacos de papel para colocar o pão, continua a ser menos um resíduo gerado, porque normalmente estes não são reutilizados.

Se todos adoptarmos práticas tão simples como esta, garantidamente estamos a trabalhar para termos um mundo melhor, mais sustentável e muito mais limpo.
Experimentem! 
Nas primeiras vezes provavelmente serão olhados com admiração mas muito rapidamente serão olhados com respeito e admiração.

Tirem os Sacos do Pão do Baú

Vão aos baús das vossas mães e avós resgatar os sacos para o pão! Com certeza elas terão. 
Se eventualmente não tiverem, podem sempre adquirir um giríssimo Saco Pa-Pão, que é feito a partir de tecido de algodão 100% biológico. 
Segundo o mentor deste projecto, inovador nos dias que correm, o André Silva, em termos de sustentabilidade, basta um ano para que exista um impacto positivo em termos de poupança de recursos e diminuição das alterações climáticas. Isto, claro, se o adquirimos novo, pois se formos regatar os antiguinhos estamos logo com saldo positivo e a fazer algo de bom para a Mãe Natureza!

E por aí como trazem o pão para as vossas casas?


Nota: Volto a relembrar que não recebo qualquer tipo de compensação por mencionar marcas que conheço e/ou que utilizo. Apenas o faço porque as acho interessantes! Isto aplica-se a todos os artigos onde constem nomes de marcas! 

Ler Mais

Share

8 Comentários

In Receitas

Gomásio - Um delicioso Condimento

Gomásio

Hoje deixo-vos a receita de Gomásio, um condimento delicioso que funciona muito bem como substituto do sal, oferecendo um sabor requintado.
É um tempero remineralizante pois tem um elevado teor em sais minerais e especialmente em cálcio.
Ajuda a regular o intestino pois é muito rico em fibras e nutrientes com funções laxantes. É muito usado por grávidas para combater a azia e a má disposição.
É um complemento de proteínas. Quando combinado com cereais, aumenta o seu valor nutricional.
É de fácil digestão mas não convém exagerar pois é muito rico em gorduras.
Tem ainda a propriedade de favorecer a circulação sanguínea. 

Por cá usamos o gomásio para guarnecer inúmeros pratos, desde o arroz integral, às saladas, passando pelas sopas, massas ou qualquer outro prato. Funciona sempre muito bem!
Há ainda a vantagem de todo o processo de preparação ser muito divertido e bom para fazer com as crianças. É super tranquilizante e deixa um cheirinho na casa super apetecível.
É necessário ter um suribashi, que é uma taça de porcelana, idêntica a um almofariz mas que tem umas ranhuras que facilitam a moagem e ter um pilão de madeira.


Receita
Ingredientes:

  • Entre 14 a 20 colheres de sopa de sementes de sésamo (dependo se queremos mais ou menos salgado. Usualmente faço com 18 colheres)
  • 1 colher de sopa de Sal marinho integral

Preparação:
- Colocar as sementes num coador de rede e lavá-las com água fria.
- Usar uma panela ou frigideira em inox. Colocar em lume brando e deitar o sal para que este desidrate. Basta 1 ou 2 minutos até que sal fique com uma cor esbranquiçada e mais opaca.
- Passar o sal para o suribashi e moer com o auxilio do pilão.
- Pôr as sementes já escorridas na mesma panela ou frigideira e deixar tostar ligeiramente, tendo atenção para não as queimar. Ir mexendo sempre até que elas comecem a estalar e saltar.
- Verter as sementes para um recipiente de vidro e ir mexendo para que estas arrefeçam e libertem toda a humidade, de forma a poderem ser armazenadas sem se estragarem.
- Quando arrefecidas, passá-las para o suribashi, onde está o sal e moer até que cerca de 60 a 70% das sementes estejam moídas. (Usufruir deste momento que é fantástico).
- Pode ser consumido logo e também armazenado num frasco de vidro fechado. Dura vários meses.

Experimentem pois é mesmo bom!!






Ler Mais

Share

6 Comentários

In Lifestyle Outros

Projecto Felicidade

Projecto Felicidade
Não sou uma pessoa muito organizada nem tão pouco gosto de fazer muitos planos.
Adoro ir vivendo a vida, deixando-me levar pelo vento e esperar para ver o que este me traz.
Obviamente, com a chegada dos filhos, somos obrigados uma maior organização, em prol deles e da satisfação das suas necessidades mais básicas.

Com o passar dos anos e com o aumento das minhas responsabilidades, tenho vindo a aumentar os planos que faço para a minha vida, embora grande parte deles saia "furado". A maior parte das vezes a "culpa" é dos meus filhos, ou porque estão doentes, ou porque me querem junto a eles, ou têm fome, ou precisam de dormir... tudo é válido para me alterarem um bom plano tão bem pensado e elaborado!!

Não sei se por um acesso de "midlife crisis" ou porque simplesmente vejo os anos a passarem e os meus filhos a crescerem demasiado rápido, este ano resolvi que queria ser (ainda) mais feliz!
A entrada no novo ano, normalmente faz-nos reflectir sobre as resoluções que pretendemos assumir e esta passagem do ano em particular, tendo em conta todas as alterações que estavam para vir, fez-me pensar mais sobre o que eu quero para a minha vida e especificamente para este ano.

Ser feliz... é aquele chavão que todos queremos mas que nem sempre somos muito objectivos na sua concretização.
Se sou feliz? Sim, sou. Muito até. Tenho uma vida óptima e uma família linda que me traz imensas alegrias e sorrisos, mas quero ser ainda mais... porque não?
Quem é que já não teve aquele sentimento de insatisfação mesmo quando temos tudo o que sempre sonhamos e desejamos?

O Projecto Felicidade

Fiquei ainda mais alerta sobre este tema e muito curiosa quando ouvi os podcasts da Cláudia, do blog Officinalis, sobre o Projecto Felicidade. Podem ouvi-los aqui e aqui
Neles, a Cláudia explica os passos básicos para a concretização deste projecto e de como o fazer. Ela baseia-se num livro da Gretchen Rubin, escrito em 2009 - O Projecto Felicidade. Neste livro a Gretchen escreve o que a levou a elaborar este projecto, como e porque o fez. 
Não é mais do que um projecto de 12 meses, com pequenas e grandes resoluções para tornarem os dias dela (e os nossos) mais felizes e com um sentimento de propósito muito maior. 
Confesso que ainda não terminei de ler o livro (e tenho que o fazer rapidamente porque tenho que o devolver à biblioteca!) mas posso dizer-vos que me está a dar imensas dicas super valiosas e úteis. 
Aconselho a todos, mesmo para aqueles que já são super felizes!!

O Joy Planner

Antes do final do ano e depois de ouvir o podcast, descobri outra fantástica ferramenta, dentro deste tema, que me pareceu complementar o projecto na perfeição - o Joy Planner
Não é mais do que uma agenda mas não uma agenda normal e banal como as que me passaram pelas mãos, todos estes anos. É uma agenda que nos obriga a ouvirmo-nos e a debruçarmo-nos sobre o que nos nutre, o que nos inspira e sobre o que pretendemos acordar em nós. Propõe-nos traçar objectivos semanais e a avaliar cada semana com evidências dos aspectos que nos fizeram ir ao nosso encontro mais interior e introspectivo.

Confesso que nunca gostei de agendas. São óptimas nos primeiros dias mas depois acabo sempre por as abandonar. Esta, talvez por ser tão diferente e não se focar, única e exclusivamente, no que temos que fazer nos nossos dias, cativou-me e continuo a escrever nela todos os dias. Funciona como um convite ao foco e concretização da nossa lista de intenções e a reafirmar o nosso foco nos sonhos e desejos que temos. Estou a adorar!!

Com o livro da Gretchen e este Joy Planner tenho a certeza que vou ter um 2018 fantástico, cheio de felicidade e coisas boas, só pode, certo?!

Até breve e sejam muito felizes!







Ler Mais

Share

2 Comentários

In Receitas

Bolinhas de Caju com Coco

Bolinhas de caju com coco
Há algum tempo que estava para partilhar a receita destas bolinhas maravilhosas no blog mas ainda não tinha tido oportunidade.
Já vos contei o quanto gosto de fazer manteigas vegetais em casa e já partilhei algumas receitas. Podem encontrar a receita da manteiga de amendoim aqui e a manteiga de avelãs com cacau aqui.

A base da receita de hoje é a manteiga de caju. Eu adoro caju. É curioso como aprendi a gostar de frutos secos. Até há uns anos só gostava de amendoins, depois comecei a gostar de pinhões, que comia na altura do Natal e mais tarde, durante as crises de azia que tive recorrentemente na gravidez do Manel, aprendi a gostar de amêndoas. Nessa altura comi imensas porque realmente me faziam passar a azia em poucos minutos. Quantas vezes me levantei a meio da noite para partir e comer amêndoas!

Desde essa altura que comecei a apreciar todos os frutos secos. Só mesmo pistácios é que ainda tenho alguma resistência em comer.
Sabem qual foi o lanche que levei hoje para o trabalho para comer a meio da manhã? Uma pêra (bio) e amêndoas! Bom e saudável!

A receita que vos deixo hoje não é da minha autoria. Vi-a no blog Made by Choices, da Vânia Ribeiro, que sigo há uns anos e que tem receitas super deliciosas e fáceis de executar. Mal vi a receita apeteceu-me logo passar à prática. A Vânia chamou a estas bolinhas deliciosas, Rafaellos saudáveis.

Eu experimentei fazer para oferecer no Natal. E contei com uma preciosa ajuda para fazer as bolinhas e as envolver em coco!
Os mais gulosos podem envolver as bolinhas em chocolate branco em vez de utilizarem o coco.

Receita
Ingredientes:

  • 70 g de Coco ralado
  • 2 colheres de sopa de Manteiga de caju 
  • 2 colheres de sopa de Geleia de arroz ou mel
  • Coco ralado para envolver as bolinhas

Preparação:
- Num processador juntar todos os ingredientes e triturar até estar tudo bem envolvido.
- Retirar pequenas porções e fazer as bolinhas com as mãos.
- Envolver as bolinhas com o coco ralado.
- Deixar umas horas no frigorífico para ficarem mais firmes.

Para fazer a manteiga de caju o processo é idêntico ao das outras manteigas vegetais:
- Dourar no forno, pré aquecido a 180ºC, os cajus cerca de 10 minutos, com o cuidado de não os deixar torrar.
- Triturar no processador até ficar com a consistência de manteiga vegetal. Nesta passo é necessário abrir o copo várias vezes para "empurrar" o conteúdo para junto das lâminas e repetir o processo.

Espero que gostem!

Ler Mais

Share

2 Comentários